Evento comemora Dia da Mulher Negra e lota Câmara de SP

31-07-2014 23:26

Apresentado pela jornalista Sandrah Sagrado, o evento "Negras em Movimento - Ato Debate em homenagem a todas as Cláudias da Diáspora Africana" mesclou sérios temas em relação a mulher negra com apresentações culturais para um novo público que veio comemorar o Dia de Tereza de Benguela e da Mulher Negra, na Câmara Municipal de São Paulo.

Sandrah Sagrado Fotos: Fernando Donizete (Nando Lhp)

Cerca de 200 pessoas compareceram ao “Negras em Movimento – Ato/Debate em homenagem às Cláudias da Diáspora Africana”, na Câmara Municipal de São Paulo, no último dia 2 de julho, lotando o auditório Prestes Maia em comemoração ao Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha, bem como Dia de Teresa de Benguela e Dia Nacional da Mulher Negra. O Negro é Lindo realizou este evento com o apoio do gabinete do vereador Antonio Donato, deputado federal Carlos Zarattini (ambos do PT), Sedin – Sindicato da Educação Infantil e Revista Mulher Negra & Cia.

Primeira Execução do Hino à Negritude

Pela primeira vez, na Câmara Municipal foi executado o Hino à Negritude de autoria do Profº Eduardo de Oliveira, de acordo com a Lei 12.981 sancionado pela presidenta Dilma Roussef, em maio deste ano, pela qual o Hino deve ser tocado em cada evento sobre a questão racial. Todos cantaram de pé!

Vale lembrar que partir de agora, esta data também passa a ser como o Dia Nacional de Tereza de Benguela e também da Mulher Negra, de acordo com a lei sancionou, a Lei Nº 12.987, sancionada pela presidente Dilma Rousseff, em maio deste ano.

Saúde, genocídio, preterimento, apartação entre os temas...

A profª Ana Macedo, declamou o  poema “A mulher negra guerreira está morta?”, emocionando os presentes. Iniciando com a fala da jornalista e ativista do Coletivo Quilombação,  Tatiana Oliveira sobre “Os meios de comunicação e a mulher Negra”; seguiu-se com  a enfermeira e terapeuta, Eloá Pimenta, sobre Saúde da Mulher Negra; logo após, assistente social da Fiocruz, Yvone Sousa cobre Apartação da Mulher Negra deste a Infância; seguida da ativista do Círculo Palmarino, Ivete Souza que falou sobre “O genocídio da juventude negra” e finalizou com a  ex-vereadora Claudete Alves sobre a “Solidão da Mulher Negra/Preterimento”, que emocionou os presentes ao citar o grupo da rede social “Amor Afrocentrado” e também passar o vídeo “Chamaram-me Negra”.

Ex-vereadora homenageada pela Mulher Negra & Cia

Após sua apresentação, a ex-vereadora Claudete Alves foi surpreendida pela homenagem realizada pela Revista Mulher Negra & Cia, que a presenteou com o troféu “Guerreiras”: “Em 2007, quando era vereadora,  criou a Lei   14.636/2007 que oficializou o Dia Internacional da Mulher Negra no município. Podemos comemorar este dia graça a esta guerreira”,salientou Ruth Lopes, da Revista Mulher Negra & Cia..

Rap, samba de roda  e bossa nova nas apresentações

Permeado por música, contou com a rapper, Tiely Queen, do Hip Hop Mulher, deu seu recado em homenagem às mulheres negras, assim como o grupo de rap Facção X, finalizando com o samba de roda de Nega Duda e ao finalizou com a presença um violonista que tocou ao vivo para os presente durante o coquetel de confraternização.

A ex-vereadora Claudete Alves também sorteou exemplares do livro “Virou Regra?” e “Negros – O brasil nos deve milhões!”, juntamente com Cds do Facção X, que fizeram os presentes vibrarem.

O coquetel finalizou com chave de ouro o evento, pois os presente puderam se confraternizar ao som da música ao vivo do cantor e violonista Samuka. Ao final, todos parabenizaram a organização pelo evento, lembrando que a maioria dos participantes não eram participantes de Movimento Negro.

Nas Redes Sociais

facebook.com/negrasemmovimento

Negras em Movimento no Google Plus