Negros correspondem a 53,1% da população, afirma PNAD 2013

22-09-2014 20:38

Afropress

S. Paulo – A Pesquisa Nacional de Amostras de Domicílio 2013 (PNAD) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) reforça dado que já é sabido desde o Censo de 2010: os negros brasileiros (pretos e pardos) são maioria no país, representando 53,1% da população de 202,7 milhões de habitantes.

 

Segundo dados da PNAD divulgados nesta quinta-feira (18/09) os autodeclarados pretos cresceram 2,2 pontos percentuais, passando de 5,9% do total de brasileiros para 8,1% em 2013 – o equivalente a 5,4 milhões de pessoas – 2 vezes mais que a população de Salvador na Bahia.

O IBGE considera cinco tipos: pretos, pardos, amarelos, indígenas e brancos, sendo que o grupo genérico de negros reúne pretos e pardos. Em 1.872, quando foi realizado o primeiro Censo, a classificação era a seguinte: branco, preto, pardo e caboclo. A categoria indígena foi incluída a partir de 1.991, quando a classificação do IBGE passa a ser de cor ou raça.

Segundo a gerente da pesquisa, Maria Lúcia Vieira, o aumento da população preta e parda reflete a forma como o brasileiro enxerga o ser preto no Brasil. “Isso tem muita relação com as políticas de autoafirmação. As pessoas podem ter uma consciência maio da sua cor. Também há a possibilidade da questão das cotas [estudantis] influenciar essa decisão", afirma.

Maioria negra

De acordo com a pesquisadora a miscigenação da população é outra hipótese que pode explicar o crescimento da população parda no país. Também está relacionada ao fato das pessoas terem começado a assumir a sua própria identidade como ocorreu com a atriz Jana Guinond, 43 anos, (foto) que passou, segundo conta por um longo processo de aceitação até começar a responder preto à pesquisa. “Me tornei negra, foi um processo. Eu sempre usava variações do termo mulata. Hoje, pelo amor de Deus, não me chamem de mulata! Isso era fruto de o que eu aprendia como sendo o negro na escola e nas ruas. E o que eu aprendia é que ser negro era muito ruim", conta.

A região Sudeste foi a que mais “perdeu brancos”. O percentual da população autodeclarada branca, que era de 61,2% em 2004, caiu 7,4 pontos percentuais, chegando a 53,8% em 2013, enquanto o número de pardos subiu 5,7 pontos percentuais (o que corresponde a 36,8% da população) e o de pretos, 1,7 pontos percentuais – 8,7%.

No Sul, a população autodeclarada branca diminiu 5,7 pontos percentuais, passando de 82,8% do total em 2004 para 77,1% em 2013. A população parda teve aumento de 4,7 pontos percentuais, chegando a 18%.

A região Centro-Oeste teve a menor variação em 10 anos: a população autodeclarada preta cresceu 1,9 ponto percentual e a parda 2,7 pontos percentuais. A pesquisa ouviu 362.555 pessoas em 148.697 domicílios em todo o país.