ONU: Programa de inspiração brasileira ajuda a alimentar 20 mil crianças no Senegal

29-09-2015 22:30

O PAA África contribui para construir uma agenda de financiamento público para a compra local de alimentos que beneficiam programas de alimentação escolar no Senegal.

Fonte: Onu Brasil

Ligar a produção local de alimentos aos programas de alimentação escolar está mostrando resultados positivos no Senegal, onde estratégias de compras públicas de alimentos apoia a produção agrícola dos pequenos agricultores familiares.

Inspirado no programa público brasileiro de aquisição de alimentos, o programa PAA África – em inglês Purchase from Africans for Africa – no Senegal está sendo implementado na região de Kédougou, uma das mais pobres do país. Como resultado, a iniciativa já triplicou a produtividade agrícola e comprou em torno de 100 toneladas de arroz para alimentar mais de 20 mil estudantes do ensino público.

Apoiar os agricultores pobres vulneráveis, fornecer refeições escolares diárias e impulsionar economias locais, estes são alguns dos desafios operacionais abordados pelo projeto PAA África no Senegal. A experiência senegalesa é parte do Programa PAA África – que também é implementado na Etiópia, Malaui, Moçambique e Níger – e que congrega a expertise da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) e do Programa Mundial de Alimentos (PMA) para promover intercâmbios Sul-Sul entre Brasil e África.

“Antes da parceria, os nossos rendimentos eram muito baixos. As crianças que iam para a escola com fome, sentiam os impactos negativos nos seus resultados escolares.”, relatou a presidenta do grupo de Mulheres em Kédougou, Aissatou Diallo.

O programa reforça a capacidade dos agricultores do de participação no mercado, por meio de insumos agrícolas, capacitação sobre boas práticas agrícolas e habilidades do agronegócio, bem como em relação aos contratos assinados com associações de agricultores para garantir a comercialização dos seus produtos para as escolas nas proximidades. O programa desenvolve, portanto, o potencial para aumentar a renda das famílias, sua segurança alimentar e bem-estar.